Google+ Followers

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Data Definition Language - DDL




As instruções de DDL definem um banco de dados, criando bancos de dados, tabelas e tipos de dados definidos pelo usuário. As DDL também podem ser usadas para gerenciar os objetos do banco de dados. Por padrão, somente os membros do cargo sysadmin, dbcreator, db_owner ou db_ddladmin podem executar instruções de DDL. Exemplos de algumas instruções de DDL:

  • CREATE nome_do_objeto
  • ALTER nome_do_objeto
  • DROP nome_do_objeto


CREATE

A instrução CREATE TABLE cria uma nova  e seus campos, além das restrições de campo. Se for especificado um NOT NULL para um campo, então será necessário que os novos registros tenham dados válidos nesse campo. Uma cláusula CONSTRAINT estabelece várias restrições sobre um campo e evitam que dados inválidos sejam inseridos no banco e pode ser usada para estabelecer a chave primária.  

NOT NULL

A constraint NOT NULL impede que valores nulos sejam inseridos em uma coluna.

UNIQUE

A constraint UNIQUE impede que valores duplicados sejam inseridos em uma coluna.

O script a seguir cria uma tabela chamada customer (cliente) no banco de dados Northwind. Ela inclui as colunas cust_id (identificação do cliente), company (empresa), contact (contato) e phone (telefone).


CREATE TABLE customer (
cust_id int not null,
company varchar (40),
contact varchar (30),
phone char(12)
CONSTRAINT PK_CUSTOMER PRIMARY KEY (cust_id)
);
GO

ALTER

A instrução ALTER TABLE modifica uma definição de tabela alterando, adicionando ou removendo colunas e restrições, reatribuindo e recriando partições, ou desabilitando ou habilitando restrições e gatilhos.

O script a seguir altera o tipo de um campo de char(12) para numeric(18,0) e adiciona uma nova coluna endereço na tabela.

ALTER TABLE [dbo].[customer] ALTER COLUMN phone numeric(18,0);

ALTER TABLE [dbo].[customer] ADD endereco VARCHAR(20) NULL;  



Sara Meireles
Especialista em BI

Nenhum comentário:

Postar um comentário